UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
SP tem 90 novas áreas desmatadas de Mata Atlântica nos últimos 5 anos, aponta relatório

22/08/2019

A cidade de São Paulo somou pelo menos 90 novas áreas de Mata Atlântica desmatadas nos últimos 5 anos, de acordo com um dossiê divulgado pela equipe do vereador Gilberto Natalini (PV) neste mês. O relatório denuncia a derrubada de pelo menos 500 mil árvores nos extremos leste e sul do município. Os maiores responsáveis pelo desmatamento são organizações que fazem loteamentos irregulares de áreas, de acordo com o estudo.
As áreas devastadas compõem Áreas de Proteção de Ambiental (APA) e Parques Naturais, que abrigam nascentes, a maior parte delas, responsáveis por abastecer a Represa Guarapiranga, na Zona Sul de São Paulo, cujas águas são consumidas por mais de 5 milhões de pessoas.
Segundo a Fundação SOS Mata Atlântica, o bioma ocupa 15% do território brasileiro, se concentra na costa, passa por 17 estados do país, e sua extensão hoje representa 12,4% da área original. A cidade de São Paulo abriga 17% dos remanescentes florestais.
Motivado pelas dezenas de denúncias que recebeu da população por ligações, Whatsapp e e-mail, o vereador se debruçou sobre os 90 locais indicados e constatou que organizações têm devastado os extremos abandonados da cidade, especialmente o sul e o leste, para vender loteamentos e descartar entulho dentro da Mata Atlântica em plena luz do dia.
Para a caracterização e localização das áreas denunciadas, a equipe foi a campo, se comunicou com associações de bairro e órgãos públicos para mais informações, e contou com uma empresa para elaboração de laudos de parte dos casos, trabalho que utilizou a ferramenta de imagens e dados DataGEO, do governo do estado, e imagens de satélite disponibilizadas no Google Earth, além de fotos obtidas a partir de drones.
A consultoria ambiental contratada para estudar mais detalhadamente metade das 90 áreas estimou que, juntas, refletem a derrubada de aproximadamente 500 mil árvores.
“O gabinete virou um disque-denúncia de derrubada de mata porque o poder público não faz nada desde o fim da Operação Defesa das Águas, em 2012. Um fiscal sozinho não consegue deter o crime organizado, que tem avançado com velocidade”, disse o vereador, acrescentando que há indícios da atuação de organizações criminosas devido a repetição do modus operandi - manutenção de vegetação no entorno das áreas, bem como muros pré-fabricados de concreto da mesma empresa.
“Eu proponho a reedição do convênio entre governo do estado e a Prefeitura de São Paulo, para que subprefeituras, polícias ambientais, GCM, fiscais da Cetesb e das secretarias do meio ambiente atuem juntos”, continuou.
Em nota, a Prefeitura de São Paulo disse que, só em 2019, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) realizou mais de 6 mil rondas, mais de 600 desocupações e mais de 50 ações para coibir o descarte irregular de resíduos nas áreas ambientais ameaçadas de degradação. O governo do estado informou que neste ano realizou 588 fiscalizações que resultaram em 90 autos de infração ambiental nas Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais nas zonas Sul e Norte da capital paulista.
O governo afirmou ainda que intensificou as reuniões e ações da Operação Integrada Defesa das Águas (OIDA), com fiscalizações, demolições de obras construídas irregularmente e apreensão de maquinário, além de providências administrativas e criminais.

A reportagem pode ser lida na íntegra no G1

Novidades

Fechados na quarentena, museus oferecem doses de arte ao público pelas redes sociais

28/05/2020

Arte é resistência. Para continuar oferecendo programação cultural ao público durante a quarentena, ...

Campos, RJ, registra quase 600 casos de chikungunya no primeiro trimestre deste ano

28/05/2020

O mundo todo está lidando com as consequências do novo coronavírus. Em Campos dos Goytacazes, no Nor...

Madeireiras são alvo de ação contra extração ilegal de madeira de reserva indígena de RO

28/05/2020

Duas madeiras do distrito de Extrema e mais três de Nova Califórnia foram alvos de uma ação conjunta...

Bioma mais ameaçado do Brasil, Mata Atlântica vive alta do desmatamento

28/05/2020

O ritmo de destruição da Mata Atlântica voltou a subir após ter sido registrada a menor taxa de desm...

Desmatamento na mata atlântica cresce 27% entre 2018 e o primeiro ano do governo Bolsonaro

28/05/2020

O desmatamento na mata atlântica entre 2018 e 2019 cresceu cerca de 27% em comparação com o período ...

Amazônia perdeu em média 2,1 mil hectares de floresta por dia em 2019, aponta levantamento

28/05/2020

A Amazônia perdeu em média 2.110 hectares de floresta por dia em 2019, área equivalente 1,9 mil camp...