UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Documentário mostra a relação entre natureza e caos urbano no Rio de Janeiro

18/07/2019

Se você, caro leitor, mora na cidade do Rio de Janeiro, certamente já ouviu a expressão: “O Rio não é para amadores”. Com uma desigualdade monstruosa e uma desordem urbana muito orquestrada pela especulação imobiliária, a cidade também pode ser um paraíso por conta de suas riquezas naturais e sua biodiversidade. Ande pelas ruas querendo fazer contato com o som de pássaros e, em pouco tempo, passará a distinguir o canto do Bem-te-Vi de um Tucano ou de um Sabiá Laranjeiras. Temos, em média, 400 espécies pelos céus, número que muitos países europeus nem sonham em ter. E mais: são pássaros da floresta e de litoral, às vezes voando muito perto, como nos céus do Jardim Botânico, que fica colado à Floresta.
O privilégio, no entanto, tem sido obtido por poucos. Não só pelas condições de moradia ou pela desordem urbana, mas muito possivelmente porque os habitantes da cidade nem sempre temos o dom de perceber a natureza que nos cerca. Esta relação entre o homem, o Rio de Janeiro e seu Jardim e floresta é um dos motes do documentário “Templo Verde”, dirigido e produzido pelo documentarista Luiz Eduardo Lerina (veja aqui o trailler). O filme vai ser apresentado no dia 17 de agosto na exposição sobre Burle Marx que acontece até o dia 29 de setembro no Jardim Botânico de Nova York.
Se podemos chamar assim, o filme de Luiz Eduardo Lerina tem uma protagonista, a paisagista Cecília Beatriz, em quem o diretor se inspirou ao dar o título. Passeando pelas aleias do Jardim Botânico, cenário principal do documentário, Cecilia diz que o considera uma espécie de Templo Verde. E segue seu pensamento, fazendo um paralelo interessante entre o consumismo desarvorado que vemos crescer na nossa era e aquilo que se obtém da natureza:
“O que a natureza nos dá não é consumo. Quando a pessoa compra alguma coisa, ela usa e descarta. Na natureza, tudo que se absorve não nos sai mais da mente”, diz ela para as câmeras de Lerina.
As imagens capturadas são sensíveis, lindas, um bálsamo para vistas que têm sido tão machucadas nos últimos tempos, com tantos eventos urbanos aflitivos. Durante os 57 minutos do filme, é permitido se deixar deleitar e lembrar que sim, vivemos numa cidade privilegiada. E que faz bem para a saúde perceber isto.

Para saber mais sobre este documentário, leia mais no G1

Novidades

Documentário mostra a relação entre natureza e caos urbano no Rio de Janeiro

18/07/2019

Se você, caro leitor, mora na cidade do Rio de Janeiro, certamente já ouviu a expressão: “O Rio não ...

Tartaruga marinha é resgatada por bombeiros no Arpoador

18/07/2019

Uma tartaruga marinha foi resgatada no início da tarde desta quarta-feira, na praia do Arpoador. Gua...

32 tartarugas marinhas são achadas mortas em praias de Pernambuco

18/07/2019

A ONG Onda Limpa para Gerações Futuras contabilizou 32 tartarugas marinhas verdes mortas em apenas 4...

Menino acha fóssil de réptil gigante de 8 milhões de anos no AC: ‘achei que era um dinossauro’

18/07/2019

O pequeno Robson Cavalcante, de 11 anos, ficou surpreso ao encontrar um fóssil de um réptil pré-hist...

Entenda como funciona e para que serve a cobrança de taxas turísticas em Noronha e outras áreas protegidas do Brasil

18/07/2019

Fernando de Noronha recebeu um número recorde de 100 mil turistas em 2018, e todos eles tiveram que ...

Ministro diz que vai a Fernando de Noronha vistoriar serviços prestados por concessionária

18/07/2019

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, informou nesta terça-feira (16) que vai a Fernando de N...