UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Exposição em Manaus reúne animais que viveram na Amazônia há milhões de anos

06/04/2021

O Museu da Amazônia, o Musa, inaugura uma exposição muito especial no sábado (3), em Manaus. É um retrato de uma Amazônia antiga, de milhões de anos, que revela bichos pré-históricos, entre eles, o maior crocodilo do mundo.
“O subsolo, o leito aonde repousa a Amazônia, tem dois bilhões e meio de anos”, explicou o diretor do Musa, Ennio Candotti.
Essa Amazônia antiga ainda é pouco conhecida. Mas o Museu da Amazônia quer mudar isso.
“Hoje em dia, através de pesquisa, a gente está criando uma verdadeira coleção paleontológica de grande interesse científico e, a partir do interesse científico, a gente cria conteúdos para poder divulgar esse conhecimento para a população”, disse Fillipo Stampanoni Bassi, arqueólogo e diretor adjunto e científico do Musa.
O conhecimento sobre a Amazônia vai ser em forma de exposição. É o público cara a cara com os bichos que dominavam estas terras há milhões de anos.
“A Amazônia esconde muita coisa, a gente tem esse lençol verde em cima, mas embaixo, muito profundo, estão os dinos, os afloramentos aonde os dinos estão profundos”, disse o paleoartista Carlos Scarpini.
Um dos astros dessa apresentação é o Amazonsaurus maranhensis. É uma espécie de saurópode, aqueles dinossauros com pescoço bem comprido. Ele é o vovô da exposição, viveu por aqui há pelo menos 110 milhões de anos.
Outra estrela é o Eremotherium laurillardi, a preguiça gigante. Essa preguiça viveu há cerca de 11 mil anos. Os fósseis desse animal gigante foram encontrados espalhados por várias partes do Brasil, de cavernas de Minas Gerais e da Bahia até às margens de rios no Acre.
Na Amazônia, ela viveu tanto na floresta quanto em áreas mais áridas, de cerrado. Um macho adulto chegava a pesar 5 toneladas. Podia atingir até seis metros de altura. Era um animal herbívoro, só se alimentava de gramas, de folhas e de arbustos.
O Purussaurus brasiliensis foi o maior crocodilo do mundo. Existiu há cerca de 10 milhões de anos. Esse bicho tinha cerca de 12 metros e, segundo os cientistas, tinha a mordida mais forte que a do Tiranossauro rex.
“É o primeiro Purussaurus no mundo que foi reconstruído em tamanho real, osso por osso”, explicou Lucy Gomes de Souza, paleontóloga do Musa. “Então isso torna essa exposição ainda mais única para os visitantes”.
Em 2019, em um sítio arqueológico chamado cajueiro, no município de Boca do Acre (AM), foram encontradas uma mandíbula, vértebras e ossos dos braços do Purussaurus. Até então, os paleontólogos conheciam apenas o crânio e a mandíbula desse animal.
Depois de milhões de anos é difícil encontrar um esqueleto completo. E para conseguir terminar toda a estrutura, a ciência se transforma em arte.
Tudo começa em um desenho, que ganha forma e vira a parte de um todo. Antes esquecido, é o trabalho do paleoartista.
“A fusão de dois segmentos da ciência, a ciência acadêmica, empírica, fria, estéreo que trabalha de fato com números, com dados concretos e a condição mais lúdica de você conseguir transportar esses dados estéreos para uma linguagem popular, para uma linguagem visual onde as pessoas consigam ver, o que o cientista consegue ver”, disse o paleoartista Carlos Scarpini.

Leia a matéria completa no G1

Novidades

ICMBio muda resultado e dá concessões no Cristo a empresa que alegou problema na internet do instituto ao perder prazo

08/04/2021

Documentos apresentados por um grupo empresarial bastaram para que o Instituto Chico Mendes de Conse...

Parque Nacional do Iguaçu divulga fotos do céu estrelado nas Cataratas do Iguaçu

08/04/2021

Pela primeira vez o Parque Nacional do Iguaçu autorizou a entrada uma turma de fotógrafos para uma e...

Após polêmica com PF, Salles se reúne com empresários e acena com liberação da madeira no PA

08/04/2021

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se reuniu na quarta-feira (7), em Santarém (PA), com em...

Filhote de girafa dá seus primeiros passos em zoológico de Miami, nos EUA

08/04/2021

O Zoológico de Miami, nos Estados Unidos, ganhou um novo morador – um bebê girafa que nasceu em 2 de...

Em carta, entidades pedem a Biden que não faça acordo ambiental com Bolsonaro

08/04/2021

Um grupo de cerca de 200 entidades brasileiras enviou uma carta, na terça (6), ao governo de Joe Bid...

Geleiras derretendo e minerais raros surgindo: por que prestar atenção ao novo governo da Groenlândia

08/04/2021

O resultado das eleições na Groenlândia, ontem dia 7, colocou em xeque o andamento de um grande proj...