UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Só 34% dos brasileiros entendem que suas ações impactam diretamente o oceano, diz pesquisa

30/06/2022

Uma pesquisa inédita divulgada na terça-feira (28) indica que apenas 34% dos brasileiros entendem que suas próprias ações têm influência direta no oceano. Para 40% dos entrevistados, as atitudes individuais não têm qualquer impacto nos mares, enquanto 24% consideram haver uma repercussão indireta.
No sentido inverso, a maior parte dos brasileiros identifica que o oceano tem influência sobre suas vidas. Para 50% dos entrevistados, esse impacto é direto, enquanto 21% consideram que as repercussões são indiretas. Na avaliação de 26% dos brasileiros, os mares não têm qualquer repercussão em suas vidas.
A pesquisa "Oceano Sem Mistérios: A Relação dos Brasileiros com o Mar" entrevistou 2.000 pessoas, homens e mulheres entre 18 e 64 anos, de todas as classes sociais, nas cinco regiões do país. O trabalho foi realizado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Unesco e com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).
O resultado do trabalho será apresentado na Conferência dos Oceanos da ONU, que acontece até sexta-feira (1º) em Lisboa.
Integrante da equipe responsável pelo trabalho, a doutora em ecologia Janaína Bumbeer considera que o Brasil fala pouco sobre a importância do oceano, mesmo com parte significativa da população vivendo na região costeira.
"O Brasil é um país que historicamente esteve de costas para o mar. Desde sempre, todo o cidadão brasileiro ouve falar das nossas florestas exuberantes, da biodiversidade terrestre e, principalmente, do papel importante da Amazônia", diz a especialista em conservação da Fundação Boticário. "Pouco se fala, ou não de forma suficiente, sobre o oceano e a forma com que nós dependemos dele para viver."
O importante papel do oceano na regulação do clima global vem sendo destacado pelo IPCC (painel de especialistas do clima da ONU). Os mares são responsáveis por absorver mais de 30% das emissões de dióxido de carbono (CO2) e de 90% do aumento de temperatura causado pelo aquecimento global.
Um dos principais vilões da poluição dos sistemas marinhos, os resíduos plásticos ainda não estão no centro das preocupações dos brasileiros. Só 35% dos participantes afirmam evitar sempre o uso de canudinhos e de copos plásticos descartáveis, enquanto 12% evitam a maioria das vezes e 20%, somente algumas vezes.
Já 20% dos entrevistados nunca evitam o consumo desses materiais, e 13% o fazem raramente.
O trabalho também perguntou a opinião dos participantes sobre a atuação do Brasil na preservação dos oceanos. Cerca de 41% dos entrevistados avaliaram o desempenho como negativo. Para 31%, o desempenho foi neutro, enquanto 28% julgaram que a performance de forma positiva.
Embora acenda o alerta sobre o grau de compreensão dos brasileiros sobre seus impactos ambientais, a pesquisa registra uma grande disposição da população a mudar seus comportamentos.
A intenção de mudar hábitos pelo bem do oceano, em uma escala de 0 a 10, teve média de 8,3. Notas entre 7 e 10 concentram 82,2% dos participantes.
Professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e membro da RECN (Rede de Especialistas em Conservação da Natureza), Ronaldo Christofoletti diz que o oceano começa "na porta de casa, mesmo que estejamos a muitos quilômetros de distância do mar", e que é preciso incentivar campanhas de conscientização para reforçar essa ligação.

A reportagem completa pode ser lida na Folha de S. Paulo

Novidades

Niterói inaugura programa para neutralizar emissão de carbono em favelas

11/08/2022

A Secretaria Municipal do Clima de Niterói deu início a um projeto-piloto que pretende neutralizar a...

Lobo-guará é flagrado por câmera de segurança tentando ´roubar´ galinha em sítio de Piraí

11/08/2022

Um lobo-guará foi flagrado por câmeras de segurança tentando "roubar" uma galinha em um sítio de Pir...

Bicho-preguiça leva choque e amputa braço após se aventurar por área urbana no litoral de SP

11/08/2022

Um bicho-preguiça fêmea precisou ter o ´braço´ amputado e lutar pela vida após sofrer uma descarga e...

Festival terá miniusina e palco abastecidos por energia solar

11/08/2022

Usando a música como fio condutor dentro da plataforma de entretenimento e sustentabilidade Green Yo...

Garimpo ilegal de ouro divide terra indígena no sul do Pará

11/08/2022

O garimpo ilegal de ouro dividiu uma terra indígena no sul do Pará. Lideranças tomaram rumos distint...

Projeto mapeia 542 iniciativas de resistência aos agrotóxicos no Brasil

11/08/2022

Levantamento inédito do De Olho nos Ruralistas para o projeto Brasil sem Veneno — realizado em parce...