UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Presença de onças-pintadas tem aumento em detecções após queimadas no Pantanal em MT

23/02/2021

A presença de novas onças-pintadas aumentou após as queimadas no Pantanal em Mato Grosso. Alguns dos motivos disso, segundo um levantamento feito por guias de turismo locais, foram a estiagem prolongada, os incêndios florestais, a falta de alimento e sombra às margens dos rios e alteração na vegetação pantaneira. Não se pode dizer que houve um aumento no número de animais, mas sim na detecção deles na região.
O levantamento observou uma resiliência do Pantanal mato-grossense: apesar da destruição causada pelos incêndios, a fauna e flora começam a ressurgir aos poucos e a circulação desse e de outros animais está mais visível aos moradores e turistas.
Em 2020, o Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (LASA) registrou 4,350 milhões de hectares incendiados no Pantanal, ou seja, 30% do bioma.
Os incêndios também atingiram o Parque Estadual Encontro das Águas, localizado na região de Porto Jofre, na cidade de Poconé (distante 102 km de Cuiabá), e destruíram 85% do parque.
A localidade é conhecida por deter a maior densidade de onças-pintadas do mundo. Turistas do país e do exterior procuram o parque para fazer a observação de onças-pintadas durante passeios de barco.
De acordo com Ailton Lara - guia de turismo naturalista e um dos responsáveis pelo levantamento -, o número de detecção de onças-pintadas foi obtido com ajuda de outros guias de turismo, pilotos de barcos, visitantes e Organizações sem fins lucrativos (ONGs) que participam ativamente de atividades e conhecem o Pantanal.
A partir de dados fotográficos, o grupo conseguiu fazer um levantamento sobre o número estimado de onças-pintadas na região.
Nos últimos 13 anos de observação, o número médio de detecção de novas onças-pintadas é de 11 ‘indivíduos novos’ por ano, ou seja, esses animais nunca foram vistos antes na localidade.
“Alguns anos observamos mais, outros percebemos menos que foram catalogadas, mas esse número de indivíduos vem aumentando a cada ano na região. Em 2020 o Pantanal sofreu um dos maiores incêndios florestais da história humana e afetou muito, a flora e a fauna”, disse Ailton.
Apesar do rastro de destruição e mortes de animais, o levantamento mostrou que a taxa de detecção de novas onças-pintadas aumentou 173% na região.

Esta reportagem pode ser lida na íntegra no G1

Novidades

Plantas que se proliferam em água contaminada se alastram em lagoa de Maricá, no RJ

25/02/2021

Um tapete verde em cima da água. Essa é a situação de um trecho do Canal da Costa, em São José do Im...

Animais silvestres retirados da natureza são reabilitados no ES

25/02/2021

Os animais silvestres que são encontrados feridos ou em cativeiros no Espírito Santo recebem reabili...

Em Nhamundá, 40 mil filhotes de tartarugas são soltos na natureza

25/02/2021

Cerca de 40 mil filhotes de tartarugas foram soltos na natureza, na última sexta-feira (19), no muni...

Siderúrgica finlandesa diz que vai apurar suposta agressão ambiental da Vale

25/02/2021

A siderúrgica estatal finlandesa Outokumpu anunciou que vai investigar se houve falha de responsabil...

🦍 Filhote de gorila é o primeiro a nascer no zoo de Berlim em 16 anos

25/02/2021

O primeiro gorila nascido no zoológico de Berlim, na Alemanha, em 16 anos parecia feliz e à vontade ...

Cataratas do Niágara congelam em meio a forte frente fria

25/02/2021

As famosas cataratas do Niágara congelaram na segunda-feira (22/2), em meio a uma forte frente fria ...