UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Busca
Em destaque
Atualidades

Ilha Grande tem nova moradora, uma onça-parda, flagrada pela primeira vez

Espécie ameaçada de extinção, uma orça-parda (puma concolor) foi flagrada pela primeira vez na Ilha Grande, em Angra dos Reis, no último domingo (27). O animal, considerado o segundo maior felino do BBrasil, atrás da onça-pintada (panthera onca), foi filmado graças a uma “armadilha fotográfica” montada em um local estratégico no Parque Estadual da Ilha Grande.
A imagem foi capturada pela Dra. Lena Geise, professora titular do Departamento de Zoologia do Instituto de Biologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Segundo o Centro de Estudos Ambientais e Desenvolvimento Sustentável da universidade (Ceads-Uerj), moradores vinham relatando aparições da espécie há anos, mas ainda não existiam registros do animal. O Ceads também reforça que a presença do animal não deve ser vista como ameaça. “Trata-se de uma provável população tão antiga como todos os outros mamíferos como por exemplo o bugio, as capivaras, cutias e pacas, não tendo causado prejuízos à população humana”, ressaltou o centro de estudos em publicação nas redes sociais.
A onça-parda já foi flagrada ao menos outras duas vezes no último ano na região Sul fluminense: uma vez na Ilha da Gipóia, em novembro de 2021, também em Angra dos Reis; e outra em Piraí, nadando na Represa de Ribeirão das Lajes, em outubro.

Fonte: Veja Rio

Editais

23/03/2022

Chamada CNPq n° 07/2022 - Apoio à Pesquisa Científ...

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) lançou nesta segunda-feira, 21,...

Agende-se

05/07/2022

Exposição Amazônia

de 19 de julho de 2022 a 29 de janeiro de 2023 local: Museu do Amanhã de terça a domingo das 10h à...

Notícias

01/12/2022

Achados arqueológicos da região do Cais do Valongo...

Durante as obras do Porto Maravilha, a partir de 2011, foram encontrados mais de 1,2 milhão de itens...

Oportunidade

11/02/2022

Moção Pública de Repúdio ao Projeto de Lei 6.299/ ...

Abaixo o texto em pdf de Associação Brasileira de Mutagênese e Genômica Ambiental.