UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Sobe para 132 número de locais atingidos por manchas de óleo, aponta Ibama; 9 estados são afetados

08/10/2019

Já são 132 locais atingidos por manchas de óleo em praias do Nordeste, segundo o balanço do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) divulgado neste domingo (6).
No total, 61 municípios foram afetados em 9 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.
O último estado a ser atingido foi a Bahia, na última quinta-feira (3).
O governo de Sergipe decretou situação de emergência em razão das manchas de óleo. Nesta segunda (7), o ministro Ricardo Salles visitará o estado. O projeto Tamar suspendeu a soltura de filhotes de tartarugas marinhas por conta do problema.
No sábado (5), o presidente Jair Bolsonaro determinou uma investigação sobre as origens do óleo.
Segundo o relatório do Ibama, dentre as 132 praias afetadas em todo o Nordeste desde o início de setembro, 11 estão em processo de limpeza, 74 ainda tem manchas visíveis e 48 estão livres da substância na areia.
Pelo menos 12 animais foram atingidos pelo óleo – nove tartarugas e uma ave foram encontradas mortas ou morreram após o resgate.
Uma investigação do Ibama aponta que as manchas são de petróleo puro e que todas as amostras têm a mesma origem, mas ainda não é possível afirmar de onde ele veio. Em nota, a Petrobras afirma que o material não é produzido pela companhia.
A suspeita é que o petróleo tenha vindo de navios que passam pela região, segundo a Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH), que está analisando imagens de satélite da costa. A pesquisa, no entanto, ainda está em estágio inicial.
As manchas começaram a aparecer no início de setembro. Até quinta-feira (26), eram 99 localidades atingidas. Na sexta (27), o número subiu para 109. No domingo (29), chegou a 113 e na terça-feira (1) foi para 115. Agora, já são 124 praias afetadas.
A lista completa de municípios e praias atingidos está disponível no site do Ibama.
Na terça-feira (1) uma reunião foi realizada no Recife com representantes de seis dos nove estados nordestinos para discutir estratégias para diminuir os impactos das manchas de óleo. A Bahia foi o único estado da região que não foi afetado.
Na reunião, os estados decidiram protocolar, em conjunto, uma denúncia sobre o caso, a ser enviada à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal.
Nesta quarta-feira (2) a Polícia Federal do Rio Grande do Norte comunicou que um inquérito foi instaurado para investigar a origem das manchas. A apuração sobre a possibilidade da ocorrência de dano ambiental começou no mês passado.

Saiba mais no G1

Novidades

Relógio histórico do Largo da Carioca é restaurado e recupera badalada musical

22/10/2019

Um novo som está ecoando no Largo da Carioca e atraindo a curiosidade das pessoas que circulam diari...

Conheça a ave brasileira que tem o canto mais alto de um animal já registrado

22/10/2019

Uma pequena ave, com cerca de 30 cm da ponta do bico à da cauda, pesando em torno de 220 g (mais ou ...

Aplicativo gerado por pesquisa brasileira monitora uma Rede Geodésica Digital

22/10/2019

Aplicativo produzido por grupo de pesquisa brasileiro, liderado por Alexandre Bernardino Lopes, impl...

Pesquisa avalia o ciclo do mercúrio natural e antrópico na Amazônia

22/10/2019

Guardiã do maior bioma do Brasil, com área superior a cinco milhões de quilômetros quadrados, segund...

Fumaça causada por incêndios toma conta de Belo Horizonte

22/10/2019

A sexta-feira (18) em Belo Horizonte e Região Metropolitana amanheceu com fumaça por causa das queim...

Danos do óleo no litoral do Nordeste vão durar décadas, dizem oceanógrafos

22/10/2019

"A contaminação química dura muito mais tempo do que aquilo que a poluição visual pode sugerir." ...