UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Desmatamento no Morro da Viração, em Niterói, revolta moradores

13/08/2019

O corte de árvores na encosta no Morro da Viração, no Cafubá, em Niterói, vem provocando indignação nos moradores do bairro. Desde maio, dizem eles, operários que seriam da empresa proprietária do espaço estão desmatando um terreno na Rua Desembargador Luiz Miguel Pinaud que integra uma Zona de Conservação da Vida Silvestre (ZCVS), o que impede a retirada de qualquer árvore do local. Na semana passada, O Globo-Niterói esteve lá e constatou a existência de árvores caídas sobre a vegetaçã o rasteira.
Em março de 2017, Carlos Marins, presidente do Grupo de Ação Popular (GAP), ONG que monitora a região do Morro da Viração, entrou com uma representação no Ministério Público para evitar novos desmatamentos no local. Segundo ele, ações desse tipo já vinham sendo praticadas pela Urbanizadora Piratininga, dona do terreno, desde 2016.
Marins sustenta que no início deste ano havia uma placa da prefeitura indicando que o local pertencia a uma área de proteção. Mas que, há alguns meses, ela foi substituída por outra, informando que existe uma “ autorização ambiental ”, embora não detalhe o que está sendo permitido:
— Toda semana, pela manhã, um representante da empresa vem ao terreno com operários e eles saem derrubando todas as árvores altas que podem. É evidente que o objetivo é a construção de um condomínio: até corretores estão vindo aqui para apresentar o espaço a interessados.
Camila Kremer, que mora em frente ao terreno, engrossa as reclamações afirmando que a derrubada das árvores está afetando a fauna local.
— Antes, víamos micos, porcos-espinhos, bichos-preguiça e e várias aves que agora sumiram — lamenta.
Diretora da Urbanizadora Piratininga, Helena Loureiro nega que a empresa tenha cortado qualquer árvore, limitando-se apenas a fazer a limpeza e a medição de seus lotes a partir da supressão de vegetação rasteira.
— Estamos, sim, enviando corretores ao local e oferecendo nossos lotes, uma vez que a área é particular. Mas, se alguém derrubou alguma árvore no terreno, não fomos nós. Todas as intervenções que fizemos foram dentro do que é permitido por lei — garante.
A Secretaria municipal de Meio Ambiente afirma que o local em questão está fora dos limites do Parque Municipal de Niterói (Parnit), não sendo, portanto, uma unidade de proteção integral e podendo, por isso, receber edificações de baixo impacto. Porém, reforça que, por se tratar de uma área no entorno do parque, não há permissão para supressão de árvores, sendo concedida apenas autorização de limpeza da vegetação baixa, para medição do terreno. Diz ainda que enviará uma equipe para fiscalizar o local e, se constatada a supressão de árvores, o proprietário poderá ser multado.

Fonte: O Globo

Novidades

Animal marinho ´posa para foto´ na Praia de Camboinhas e volta para o mar

22/08/2019

Um animal marinho foi avistado na praia de Camboinhas, em Niterói, na região metropolitana do Rio, n...

Fundação Parques e Jardins tem quatro mil mudas para plantar no Rio

22/08/2019

A comoção que causa o corte de uma árvore só é comparada à de quando se vê bicho sendo maltratado na...

Fenômeno ótico que escureceu SP é uma das consequências das queimadas na Amazônia

22/08/2019

Uma frente fria apresentou ao paulistano o céu de chumbo produzido pelo calor das queimadas que arde...

Análises confirmam presença de partículas de queimadas maior do que o normal em água de chuva preta de SP

22/08/2019

Análises técnicas feitas por duas universidades mostraram que a água da chuva de cor escura, coletad...

SP tem 90 novas áreas desmatadas de Mata Atlântica nos últimos 5 anos, aponta relatório

22/08/2019

A cidade de São Paulo somou pelo menos 90 novas áreas de Mata Atlântica desmatadas nos últimos 5 ano...

Superbactérias são encontradas pela primeira vez fora do ambiente hospitalar em SP

22/08/2019

Superbactérias que até agora só eram encontradas em ambiente hospitalar foram detectadas em pessoas ...