UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Chega a 57 o número de mortes por febre amarela no estado

10/03/2018

O número de mortes por febre amarela voltou a subir e chegou a 57 no estado. Ao todo, 135 pessoas foram infectadas, de acordo com o último boletim epidemiológico da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, da Secretaria estadual de Saúde, divulgado nesta quinta-feira. Em relação à última atualização, na terça-feira passada, houve um aumento de 15 casos e de três óbitos. Em Angra dos Reis, na Costa Verde, até agora o local mais afetado (34 casos), mais um óbito foi registrado, o 14° no município. As cidades de Cantagalo e Silva Jardim também registraram novas mortes (uma em cada cidade).
Os registros no estado são em Teresópolis (17 casos, sendo 7 óbitos), Valença, (18 casos, sendo 6 óbitos), Nova Friburgo (11 casos, sendo 4 óbitos), Petrópolis (1 caso), Miguel Pereira (2 casos, sendo 1 óbito), Duas Barras (10 casos, sendo 2 óbitos), Rio das Flores (5 casos, sendo 2 mortes), Vassouras (2 casos, sendo 1 óbito), Sumidouro (7 casos, sendo 2 óbitos), Cantagalo (6 casos, sendo 4 óbitos), Paraíba do Sul (1 caso, sendo 1 óbito), Carmo (2 casos, sendo 1 óbito), Maricá (2 casos, sendo 1 óbito), Engenheiro Paulo de Frontin (2 casos, sendo 2 óbitos), Paty do Alferes (2 casos, sendo 1 óbito), Angra dos Reis (34 casos, sendo 14 óbitos), Mangaratiba (2 casos, sendo 1 óbito), Piraí (1 caso, sendo 1 óbito), Cachoeiras de Macacu (2 caso, sendo 1 óbito), Trajano de Moraes (2 casos, sendo 2 óbitos), Rio Claro (1 caso, sendo 1 óbito) e Silva Jardim (2 casos, sendo 1 óbito).
Em relação aos macacos mortos pela doença não houve alteração.Segundo a secretaria, 11 animais morreram infectados com o vírus da febre amarela. O caso mais recente é de Petrópolis, na Região Serrana. O boletim desta quinta-feira traz ainda as cidades de Niterói, Angra dos Reis, Barra Mansa, Valença, Miguel Pereira, Volta Redonda, Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin e Araruama com um caso de epizootia em cada cidade. A Secretaria de Saúde ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da doença.

Fonte: O Globo

Novidades

Inea avalia região afetada por vazamento de óleo para saber quais espécies foram atingidas

11/12/2018

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) ainda não conseguiu mensurar a dimensão da área contaminada ...

Imagens mostram extensão de vazamento de óleo em duto da Petrobras no RJ

11/12/2018

Imagens do projeto de monitoramento ambiental Olho Verde, feitas pelo biólogo Mário Moscatelli, most...

Tentativa de furto provoca vazamento de 60 mil litros de óleo na Baía de Guanabara

11/12/2018

O vazamento de 60 mil litros de óleo que atingiu a Baía de Guanabara, na tarde de sábado, foi provoc...

Uerj, Inea e FAO assinam acordo para monitoramento ambiental em Ilha Grande

11/12/2018

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), o Instituto Estadual de Ambiente (Inea-RJ) e a Or...

Carpas que chupam chupeta conquistam visitantes de restaurante em Jundiaí

11/12/2018

A pescaria em um restaurante de Jundiaí (SP) é um pouco diferente da tradicional: de um lado a varin...