UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Imóvel na Gávea acumula materiais descartados e preocupa vizinhos

11/01/2018

Telhas, cadeiras, restos de madeira e outros materiais descartados se acumulam no imóvel localizado na Rua das Acácias 114, na Gávea. Vizinhos da construção temem que os objetos deixados ao relento sirvam de abrigo para ratos e baratas e que venham a se tornar criadouro de mosquitos, uma vez que as chuvas costumam ser mais frequentes durante o verão. Uma preocupação que já dura anos e que segue sem solução, segundo eles.
De acordo com os vizinhos, o dono do imóvel faz o local de depósito. Materiais que parecem ter sido descartados por lojas e teatros acabam ali, largados, sem destinação certa.
A médica Marcia Gaspar Gomes, que reside na mesma rua, denuncia a situação.
— Há anos, a casa 114 tem sido local de depósito de sucata de estabelecimentos. Nota-se sobretudo material oriundo de alguns teatros, como pedaços de palco, cadeiras velhas e cenários. Tudo fica ali empilhado, inclusive na varanda da casa, a céu aberto — reclama a moradora.
Ela conta que já acionou a Vigilância Sanitária, uma vez que o lugar está infestado de ratos e baratas.
— Pode ser local de crescimento de mosquitos transmissores de doenças sérias, como a dengue, a zika e a chicungunha — teme Marcia.
Por meio de nota, a Vigilância Sanitária informou “que até agosto passado a casa 114 da Rua das Acácias, que já funcionava como depósito, recebia visitas regulares dos agentes de vigilância em saúde. Desde então, a pessoa que liberava o acesso ao imóvel para os agentes não tem mais sido encontrada e, por isso, foi aberto um processo de entrada compulsória para a realização da vistoria.”
Logo após enviar este posicionamento, a Coordenação de Vigilância Ambiental em Saúde informou que, “após receber a notificação da entrada compulsória, o novo responsável pelo imóvel entrou em contato com o setor e liberou o acesso dos agentes ao imóvel no fim da manhã de hoje (terça-feira). Foi feita uma vistoria no local e nenhum foco de mosquito foi localizado. Foram tomadas as medidas cabíveis para evitar o acúmulo de água e já agendado retorno para nova vistoria regular”, acrescenta a nota complementar.
A assessoria de imprensa da Comlurb informou que a uma equipe da fiscalização foi orientada a ir no local fazer uma vistoria.

Fonte: O Globo

Novidades

Prefeitura retoma programa de limpeza de rios, feito em mutirões com moradores de favelas

19/04/2018

Alvos constantes de poluição e de más práticas de preservação, os rios da cidade têm nova chance de ...

´Lixão´ vira horta comunitária cuidada por crianças e moradores em Araraquara

19/04/2018

Moradores e crianças do bairro Residencial Maria Luiza, em Araraquara (SP), transformaram um terreno...

Estudo encontra até 1,4 milhão de fungos e bactérias em latinhas e garrafas de ambulantes

19/04/2018

Aquele momento de matar a sede em engarrafamentos ou em passeios a pé precisa de mais atenção dos co...

Expedição descobre corais dentro de área destinada à exploração de petróleo na costa do Amapá

19/04/2018

Em nova expedição pelos corais descobertos nos últimos anos na foz do rio Amazonas, no Norte do Amap...

MPF pede que Ibama indefira exploração de petróleo na foz do Amazonas

19/04/2018

O Ministério Público Federal (MPF) no Amapá expediu recomendação hoje (18) para que o Instituto Bras...

A criativa solução da Noruega para acabar com o lixo plástico nos oceanos

19/04/2018

A Noruega tem o que especialistas consideram o melhor sistema de reciclagem de garrafas plásticas do...