UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Especulação imobiliária no Gragoatá mobiliza a população

10/10/2017

De frente para a Praia do Gragoatá e com vista para os principais cartões-postais do Rio, o terreno onde havia um grande campo de futebol utilizado pela Liga Niteroiense de Desportos (LND) pode receber um empreendimento imobiliário. Apesar de não haver qualquer placa sinalizando autorização para obras, a área já está toda cercada com tapumes e, na semana passada, operários trabalhavam com uma retroescavadeira. Do lado oposto, no topo do Morro do Gragoatá, o projeto para construção de oito prédios de seis andares motivou a convocação de uma audiência pública, que será dia 16, ainda sem local definido, a pedido do Conselho Universitário da Universidade Federal Fluminense (UFF).
Nos dois projetos, está por trás a empresa Planurbs S/A, responsável pelo aterro da orla do Centro nos anos 1960. A equipe do GLOBO-Niterói não conseguiu contato com representantes da construtora, mas o terreno do campo, pelo menos até bem pouco tempo atrás, era dela. Já o do topo do morro é alvo de uma briga judicial. Há três semanas, como foi mostrado neste suplemento, a UFF devolveu à empreiteira a área de mais de 60 mil metros quadrados — desapropriada há dez anos, mas nunca paga, como estava previsto em acordo firmado na Justiça — com contrapartidas de terrenos menores para a universidade e a prefeitura.
Informações extraoficiais dão conta de que o projeto para o terreno do campo de futebol — que já teria sido apresentado à prefeitura — prevê a construção de lojas e salas comerciais num prédio de três pavimentos e garagem subterrânea.
— Quando os donos do terreno do campo nos informaram que usariam a área, disseram que era para a construção de lojas, mas não detalharam — afirmou o presidente da LDN, Vanir Ferreira.
A informação dada por ele foi confirmada por outra fonte, que disse ainda que a ideia seria levar para o local o clima boêmio da região da Cantareira, com bares e restaurantes.
Ao ser questionada se havia autorização liberando obras no local e de que tipo de empreendimento se tratava, a prefeitura, no entanto, respondeu apenas que o terreno em questão é área particular e não tem licenciamento para qualquer tipo de construção: “Qualquer licenciamento da Secretaria municipal de Urbanismo será precedido de avaliação em relação aos parâmetros urbanísticos”, enfatiza a nota.

Leia mais em O Globo

Novidades

Surfistas defendem recuperação definitiva na orla da Praia da Macumba

19/10/2017

Desde meados de setembro é possível conferir o desmoronamento do calçadão da Praia da Macumba, na Zo...

Cientistas encontram nova espécie invasora de coral na Baía da Ilha Grande

19/10/2017

Cientistas do Projeto Coral-Sol, do Instituto Brasileiro de Biodiversidade (BrBio), em conjunto com ...

Incêndio em parque estadual de MS consumiu cerca de 20 mil hectares

19/10/2017

O incêndio no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, que abrange os municípios de Jateí, Navir...

Desmatamento na Amazônia reduz 16% em um ano, diz governo

19/10/2017

O governo federal informou, nesta terça-feira, que a taxa de desmatamento na Amazônia caiu 16%, entr...

Pesquisa do INCT da Criosfera sobre mudanças na vegetação antártica recebe prêmio

19/10/2017

O trabalho intitulado "Cambios climáticos y aumento de la vegetación en la Peninsula Fildes, Antárti...

Jatobá popular na Caatinga só agora é catalogado pela ciência

19/10/2017

A copa, sempre verde, da árvore se ergue dez metros acima do solo pedregoso da Caatinga. Em boa part...