UERJ UERJ Mapa do Portal Contatos
Menu
Home > Atualidades > Notícias
Concessão da Cedae vai garantir investimento para despoluição da bacia do Rio Guandu, diz governo do estado

02/03/2021

A concessão da Cedae vai permitir um investimento direto de R$ 30 bilhões em infraestrutura ambiental, segundo o governo do Rio. A proposta é que com o projeto os 25 rios, córregos, valas e canais que integram a bacia do Rio Guandu e desaguam na Baía de Sepetiba não recebam mais esgoto in natura.
Somado a isso, um investimento de R$ 2,9 bilhões para recuperação ambiental da bacia deve permitir a chegada de uma água mais limpa à Estação de Tratamento do Guandu, que atende toda a Região Metropolitana do estado.
De acordo com o secretário de Estado da Casa Civil do RJ, Nicola Miccione, os investimentos no tratamento de esgoto e na recuperação da bacia do Guandu deverão contribuir para uma melhora na água que chega ao consumidor.
“Não apenas o investimento específico de 2,9 bilhões na bacia do Guandu vai propiciar um fornecimento de água com maior qualidade, mas também os outros investimentos em saneamento, que vão impedir o despejo de esgoto nos rios. E além disso, a Cedae poderá focar sua atuação na captação e tratamento da água fornecida", afirmou o secretário de Estado da Casa Civil do RJ, Nicola Miccione, em entrevista ao G1.
E acrescentou:
"A gente entende que uma Cedae focada nisso e com investimentos da empresa, a tendência é que a qualidade da água que chega aos consumidores seja muito maior”.
A má qualidade da água no Guandu já causou crises hídricas que afetaram diversas regiões do estado. A chegada de água com cor, cheiro e gosto ruins na casa de consumidores ocorreu no início de 2020 e voltou a acontecer em janeiro deste ano.
“Desde 1999, eu denuncio o fato de que diversos rios despejam esgoto próximo à área de captação de água da Cedae. Me pergunto se a estação de tratamento de água da empresa tem capacidade técnico-operacional para tratar esse esgoto doméstico e industrial. É muito provável que alguma parte disso venha parar na nossa torneira”, afirma o biólogo Mário Moscatelli.
No início de fevereiro, a Cedae chegou a admitir ao RJ2 que, apesar do lucro superior a R$ 1 bilhão em 2019, não fez grandes investimentos para resolver os problemas que ameaçavam a qualidade da água fornecida ao estado.

Quer saber sobre o projeto? Acesse o G1

Novidades

ICMBio muda resultado e dá concessões no Cristo a empresa que alegou problema na internet do instituto ao perder prazo

08/04/2021

Documentos apresentados por um grupo empresarial bastaram para que o Instituto Chico Mendes de Conse...

Parque Nacional do Iguaçu divulga fotos do céu estrelado nas Cataratas do Iguaçu

08/04/2021

Pela primeira vez o Parque Nacional do Iguaçu autorizou a entrada uma turma de fotógrafos para uma e...

Após polêmica com PF, Salles se reúne com empresários e acena com liberação da madeira no PA

08/04/2021

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se reuniu na quarta-feira (7), em Santarém (PA), com em...

Filhote de girafa dá seus primeiros passos em zoológico de Miami, nos EUA

08/04/2021

O Zoológico de Miami, nos Estados Unidos, ganhou um novo morador – um bebê girafa que nasceu em 2 de...

Em carta, entidades pedem a Biden que não faça acordo ambiental com Bolsonaro

08/04/2021

Um grupo de cerca de 200 entidades brasileiras enviou uma carta, na terça (6), ao governo de Joe Bid...

Geleiras derretendo e minerais raros surgindo: por que prestar atenção ao novo governo da Groenlândia

08/04/2021

O resultado das eleições na Groenlândia, ontem dia 7, colocou em xeque o andamento de um grande proj...